post-title Você sabe o que é tela cirúrgica?

Você sabe o que é tela cirúrgica?

Você sabe o que é tela cirúrgica?
Cirurgias, Sobre Hérnias

A tela ou implante cirúrgico é um material amplamente utilizado no tratamento das hérnias da parede abdominal.

👉 Trata-se de um dispositivo plano que lembra um pedaço de tecido, bem resistente, que será usado para reforçar os tecidos naturais do paciente e evitar a recidiva da hérnia.

As telas são fabricadas com polímeros biocompatíveis desenvolvidos especificamente para este fim.

Geralmente, elas são incorporadas pelo organismo do paciente ficando ali de forma permanente, sem causar reações adversas.

Fonte: Sociedade Brasileira de Hernia

Prótese em formato de tela para cirurgias de hérnia reduz em até 80% o risco de retorno da doença

Segundo a Sociedade Brasileira de Hérnia – SBH, as telas, próteses cirúrgicas utilizadas em procedimentos de reparo de hérnias abdominais, reduziram o risco de retorno da doença em 80%. Antigamente, quando a cirurgia era feita apenas com a sutura (pontos) o risco de recidiva chegava a 10% e, atualmente, com o uso das próteses, os índices são de 1% a 2%.

A principal função da tela é promover um reforço na região da parede abdominal. “A recidiva acontecia muito mais, antes da tela, devido à tensão nos músculos no local da cirurgia. Hoje, a utilização de próteses fortalece os tecidos naturais do paciente evitando nova abertura nos músculos”, explica Dr. João Couto.

As telas são amplamente utilizadas. São desenvolvidas com materiais biocompatíveis.

SOBRE A VIDEOLAPAROSCOPIA

Na medicina, os avanços e modernizações estão em constante evolução para trazerem cada vez mais benefícios para o paciente. Diante disso e na área cirúrgica, uma técnica cada vez mais utilizada tem sido a videolaparoscopia, que consiste numa forma de cirurgia menos invasiva.

Através de pequenos furos, são introduzidas uma câmera e pinças específicas para o procedimento cirúrgico. Então, permite-se uma visualização do local a ser operado com um amplo espectro visual e em alta definição, trazendo segurança à técnica e sem que se abra a cavidade abdominal. Ou seja, o paciente passa por uma cirurgia sem grandes cicatrizes, menos dor e menor risco de infecção na parede abdominal.

Além disso, um outro benefício desta técnica para o paciente está no tempo de recuperação. Como os cortes para a realização da cirurgia são muito menores, ele sente muito menos dor no período pós-operatório, tendo uma recuperação e uma cicatrização da área da cirurgia muito mais rápida, além de retornar mais prontamente às suas atividades do dia a dia.

O médico, cirurgião geral e especialista em videolaparoscópica, Dr. João Couto, explica que o procedimento ocorre com o paciente sob anestesia geral. Assim, o cirurgião faz pequenas incisões na cavidade abdominal, onde são colocados os trocateres (tubos plásticos que variam de tamanho e calibre). Através de um deles, é introduzida uma câmera de alta resolução, permitindo a visualização interna, e através de outros, entram as pinças laparoscópicas que serão manejadas pelo cirurgião para manipular os órgãos que serão operados e tela.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.