post-title Gestação dois meses após a cirurgia da endometriose

Gestação dois meses após a cirurgia da endometriose

Gestação dois meses após a cirurgia da endometriose
Dr. João Couto Responde

Dr. Gustavo Capovilla

DESCOBRINDO A ENDOMETRIOSE

O papel que o endométrio desempenha na sua saúde reprodutiva

O endométrio é uma das estrelas do sistema reprodutor feminino, desempenhando papéis fundamentais durante o ciclo menstrual e também durante a gravidez. Também chamado de revestimento endometrial, o tecido do qual é composto serve como o “papel de parede” do útero.

  • Anatomia

O endométrio é constituído principalmente por tecido mucoso. Tem duas camadas. A primeira camada, o estrato basal, liga-se à camada de tecido muscular liso do útero chamada miométrio. Esta camada serve como uma âncora para o endométrio dentro do útero e permanece relativamente inalterada. 

A segunda camada é dinâmica, no entanto. Ele muda em resposta ao fluxo mensal de hormônios que orientam o ciclo menstrual. Por esta razão, é chamado de estrato funcional, ou camada funcional. É a parte do endométrio onde um óvulo fertilizado se implantará se ocorrer a concepção.

  • Menstruação e gravidez

Pouco antes da ovulação (a liberação de um óvulo de uma trompa de Falópio), a camada funcional do endométrio passa por mudanças específicas. Estruturas chamadas glândulas uterinas tornam-se mais longas e pequenos vasos sanguíneos proliferam – um processo chamado vascularização.

Como resultado, o revestimento endometrial se torna mais espesso e enriquecido com sangue para que esteja pronto para receber um óvulo fertilizado e também sustentar a placenta – o órgão que se desenvolve durante a gravidez para fornecer oxigênio, sangue e nutrientes ao feto.

Se a concepção não ocorrer após a ovulação, o acúmulo de vasos sanguíneos e tecidos se torna desnecessário e é eliminado. Este é o seu período menstrual.

  • Tenha em mente que aqueles muito jovens para menstruar ainda e adultos que passaram pela menopausa não experimentarão essas mudanças. Seus revestimentos endometriais permanecerão relativamente finos e estáveis.

Os métodos hormonais de controle de natalidade podem ter um efeito semelhante. As pessoas que usam contracepção apenas com progesterona, como o dispositivo intrauterino ou o implante contraceptivo, ambos suprimem o acúmulo da camada funcional do endométrio, tendem a ter períodos mais leves.

  • Condições endometriais

Na maioria das vezes, o fluxo e refluxo do endométrio seguem um ritmo bastante previsível – como você bem sabe se é uma pessoa que menstrua. No entanto, isso pode ser alterado por anormalidades do revestimento endometrial. Aqui estão os mais comuns que as mulheres podem experimentar.

Endometriose

Às vezes, à medida que engrossa, o revestimento endometrial vagueia para fora das bordas do útero e se desenvolve nos ovários, nas trompas de Falópio ou no tecido que reveste a pelve.

Mesmo que esteja fora do útero, esse tecido continuará a crescer e depois se decompor à medida que você menstrua. O problema é que porque está deslocado, o sangue e o tecido não têm para onde sair do corpo e ficam presos.

Eventualmente, a endometriose pode levar a cistos nos ovários chamados endometriomas, bem como tecido cicatricial e aderências que fazem com que as estruturas da pelve se unam.

O principal sintoma é a dor intensa – não apenas durante a menstruação, mas também durante a relação sexual, evacuações ou micção. Os períodos podem ser pesados ​​e você pode se sentir muito cansado, inchado ou enjoado.

Cerca de 40% das pessoas que têm endometriose terão algum grau de infertilidade resultante de várias complicações, como tecido cicatricial e aderências dentro e ao redor das trompas de Falópio a baixos níveis de progesterona que podem afetar o acúmulo do revestimento uterino.

Quando a mulher pode estar com endometriose?

Quando seus períodos são sempre pesados ​​e muito dolorosos, você deve consultar seu médico para descobrir por que isso continua acontecendo. Uma condição chamada endometriose pode ser a culpada. Ou pode ser outra coisa.

Para descobrir, você pode visitar seu clínico regular primeiro. Ou você pode consultar seu ginecologista, especializado na saúde de seus ovários, útero e outras partes do sistema reprodutivo feminino.

Para aproveitar ao máximo seu compromisso, ajuda se você fizer um pouco de lição de casa e se preparar com antecedência para a consulta.

Anote suas perguntas

Algumas coisas que você pode querer perguntar:

  • O que está causando meus sintomas?
  • Que opções de tratamento existem? O que você recomenda para mim?
  • O que o tratamento pode fazer por mim?
  • Quais efeitos colaterais ela pode causar?
  • Que mudanças de estilo de vida podem ajudar?
  • O que fazer se meus sintomas não melhorarem?
  • O que acontecerá se eu não fizer nada?
  • Isso afetará minha fertilidade? Se sim, como vamos tratar isso?
  • Uma cirurgia anterior pode estar causando minha dor e problemas menstruais?

Além disso, anote todos os medicamentos que você toma para endometriose e outras condições. Inclua quaisquer medicamentos, vitaminas e suplementos vendidos sem receita.

Prepare suas respostas

Seu médico também terá perguntas para você. Esteja pronto para responder:

  • Quais são os seus sintomas?
  • Quando eles começaram?
  • Eles acontecem ou pioram em determinados momentos?
  • O que os torna melhores ou piores?
  • Algum de seus parentes próximos do sexo feminino tem endometriose?

Acompanhe seus sintomas

Quando você conta ao seu médico sobre seus sintomas, é útil ser específico. Por exemplo, se você sentir uma dor aguda na parte inferior da pélvis, diga isso, em vez de “Minha barriga está doendo”. Se puder faça um diário de seus sintomas e quando e onde eles começaram.

  • Períodos dolorosos
  • Cólicas
  • Sexo doloroso
  • Dor ao fazer xixi
  • Sangramento intenso
  • Períodos irregulares
  • Inchaço ou náusea durante o período menstrual
  • Diarreia
  • Prisão de ventre
  • Dores de cabeça
  • Problemas para engravidar

Não deixe de fora os sintomas, mesmo que eles não pareçam relacionados à endometriose. Seu médico precisa saber sobre tudo o que você notou.

Abra-se para o seu médico

Pode ser difícil falar sobre endometriose. Mas com o seu médico, é importante estar aberto. Não subestime sua dor. Descreva-a com a maior precisão possível, usando palavras como queimação, afiado, maçante ou dolorido, se elas se encaixarem em como você se sente.

Descreva também como sua dor afeta sua vida. É ruim o suficiente fazer você pular eventos sociais ou faltar à escola ou ao trabalho? Varia de mês para mês?

SE TIVER ENDOMETRIOSE FAREMOS O TRATAMENTO ADEQUADO

SE ELA ESTIVER EM CONDIÇÕES MAIS GRAVES, FAREMOS UMA CIRURGIA MULTIDISCIPLINAR INCLUINDO UM CIRURGIÃO ABDOMINAL ESPECIALISTA NO ASSUNTO

Dr. João Couto Neto

Por que a cirurgia de endometriose é feita de forma multidisciplinar?

Quando uma paciente chega até você, indicada por seu ginecologista ou mesmo o ginecologista, nos procura para um caso de cirurgia de endometriose, isso acontece porque ele percebe que a paciente está com um caso que ultrapassa o tratamento ginecológico.

A endometriose é uma condição na qual o tipo de tecido que reveste o útero de uma mulher cresce fora dele. Uma cirurgia chamada laparoscopia é a única maneira de saber com certeza se você a tem endométrios em diferentes órgãos.

O médico ginecologista também pode recomendar a cirurgia se a paciente tiver dor severa da endometriose e a medicação não ajudar o suficiente. Eles podem encontrar a endometriose dentro do seu corpo e remover todo ou parte do tecido afetado.

Há multifatores para se pensar, incluindo se a paciente quer engravidar mais tarde. Ela pode não conseguir ter filhos após certas operações de endometriose.

A interdisciplinaridade é importante, porque a paciente de um médico ginecologista precisa conversas com ele sobre quais as opções são adequadas para ela. Os tratamentos já feitos, os sintomas e as implicações.

Quando é hora de cirurgia de endometriose?

A cirurgia é indicada dependendo da idade e da saúde geral da paciente, bem como pela avaliação dos sintomas. É muito mportante conversar com o médico se a paciente:

  • Tem dor pélvica grave
  • A medicação não controla seus sintomas
  • Se tem problemas para engravidar
  • Tem um crescimento na área pélvica que precisa ser removido

Cirurgia Laparoscopia para Endometriose – nossa especialidade

Os médicos podem diagnosticar e tratar a endometriose com uma laparoscopia, que usa um tubo fino chamado laparoscópio. Tem uma luz e uma câmera que permitem que seu médico veja dentro do seu corpo.

Antes de uma laparoscopia, a paciente recebe anestesia geral, medicação para dormir. Seu médico fará um pequeno corte no umbigo ou em outra parte do abdômen. Eles inflarão sua barriga com gás para que a câmera possa ter uma visão clara. O laparoscópio entrará por esse corte. Seu médico pode precisar fazer mais pequenos cortes para outras ferramentas.

Esse procedimento pode levar de 30 minutos a 6 horas, dependendo da gravidade de cada caso. Depois que seu o cirurgião verificar a endometriose e / ou remover o tecido, ele retirará os instrumentos e o gás e fechará os cortes. A paciente ficará em uma área de recuperação até que a anestesia passe. Isso pode deixá-la sonolenta e enjoada. A laparoscopia geralmente é um procedimento ambulatorial, o que significa que você pode ir para casa no mesmo dia.

Cirurgia de laparotomia para endometriose

A laparotomia é uma cirurgia de grande porte, com um grande corte na barriga. Os médicos geralmente o usam quando a paciente tem endometriose extremamente grave e que eles não consigam tratar com laparoscopia.

Assim como na laparoscopia, você receberá remédios para dormir. O médico cirurgião cortará sua pele e músculo para que eles possam ver seu abdômen e remover o tecido afetado. Após a cirurgia, seu médico fechará o corte e o levará para uma área de recuperação. Você provavelmente terá que ficar no hospital por pelo menos uma noite ou uns dias.

Histerectomia para endometriose

O médico cirurgião pode precisar retirar alguns ou todos os seus órgãos reprodutivos se estiverem danificados ou se tiverem tecido de endometriose. A remoção do útero é chamada de histerectomia. Uma ooforectomia é quando são retirados os ovários.

Na interdisciplinaridade, os médicos – ginecologista e cirurgião vão discutir as melhores soluções e conversarão com a paciente antes da cirurgia sobre se eles podem fazer e também sobre a possibilidade de precisar dar esse passo, e eles farão isso apenas se a paciente concordar com isso.

Os médicos podem recomendar uma histerectomia para mulheres cujos sintomas não desaparecem apesar de outros tratamentos e que não planejam ter filhos no futuro.

Seu médico geralmente pode fazer uma histerectomia com uma laparoscopia, mas também pode fazê-lo com uma laparotomia ou retirando os órgãos pela abertura vaginal.

O que esperar após a cirurgia de endometriose

Você pode ficar cansado por alguns dias após uma laparoscopia. O seu médico pode dizer-lhe para não conduzir durante 2 semanas. Eles também podem dizer para você não fazer sexo ou fazer atividades como nadar ou tomar banho em uma banheira por cerca de 2 semanas.

A recuperação de uma laparotomia é mais lenta e pode ser mais dolorosa. Pode levar várias semanas. Durante a recuperação em casa, a paciente pode não conseguir realizar algumas atividades cotidianas.

Após uma histerectomia, seu período irá parar. Se o seu médico removeu seus ovários e também seu útero, você entrará na menopausa. Você pode ter sintomas como ondas de calor e perda de densidade óssea. Converse com seu médico ginecoloogista sobre como gerenciá-los.

Riscos da cirurgia de endometriose

As complicações da cirurgia de endometriose são raras. Eles podem incluir:

  • Danos a órgãos como a bexiga ou os intestinos;
  • Danos aos nervos ou vasos sanguíneos;
  • Infecção;
  • Sangramento;
  • Problemas para fazer xixi (isso geralmente é de curto prazo);
  • Uma conexão incomum entre sua vagina e outro órgão, como seus intestinos (fístula);
  • Tecido cicatricial que pode causar dor de barriga ou bloqueios intestinais.

Perspectivas da Cirurgia de Endometriose

A maioria das mulheres tem menos dor de endometriose após a laparoscopia. Mas os resultados podem não durar, algumas vezes a dor pode voltar.

Pesquisas sugerem que a laparoscopia tende a funcionar melhor para endometriose moderada, em vez de formas leves. Se as áreas afetadas, ou “lesões”, estiverem profundamente dentro do seu corpo, é mais provável que você obtenha alívio se o seu médico cortar o tecido.

Os sintomas da endometriose geralmente desaparecem durante a menopausa.

COM A PALAVRA UMA PACIENTE DOS DOIS MÉDICOS PARA NOS CONTAR SUA VISÃO DE UM PROCEDIMENTO MULTIDISCIPLINAR

Taila Machado

“Eu já sofria com cólicas há anos! Durante o ano de 2020 as dores começaram a se intensificar e eu achei que devia pará-las. Quando eu me queixava de cólicas com os ginecologistas que eu já tinha ido (busquei vários), eles falavam que era normal.

Por insistência da minha mãe, em fevereiro de 2021, solicitei a médica ginecologista que me acompanhava, que gostaria de fazer exames mais minuciosos e, após fazer uma Ressonância da Pelve, descobri que tinha ENDOMETRIOSE PROFUNDA e ao mostrar o resultado para essa ginecologista, ela logo disse que meu caso era cirúrgico!

Levei um enorme susto, pois não esperava por esse diagnóstico e muito menos ter que fazer uma Cirurgia para resolver minhas dores.

Assim, marquei uma consulta com o ginecologista Dr. Gustavo Capovilla, pois tive a indicação de que ele era um médico especialista em Endometriose.

Quando ele me consultou e viu meus exames, disse o mesmo, que precisaria fazer uma Cirurgia e me indicou uma consulta com o cirurgião Dr. João Couto, que opera com ele em casos assim. Marquei a consulta para conversar com o Dr. João e ele me tranquilizou dizendo que deveria fazer uma videolaparoscopia e me explicou como seria a cirurgia.

Eu relutei muito em fazer a cirurgia, não queria fazer, pois sentia medo. Um medo enorme de mexerem no meu corpo, de tirarem algo que não deveria ser tirado, de a cirurgia acabar prejudicando os órgãos reprodutores não me permitindo ser mãe.

Com isso passei a ler muito sobre Endometriose, mudar hábitos alimentares e tentar evitar.

Ao mesmo tempo, fui trabalhando esse medo em mim e deixei a Fé me guiar. Devido a alguns acontecimentos e por sofrer demais com as cólicas mensais, que estavam prejudicando a minha qualidade de vida, fui amadurecendo a ideia de fazer a cirurgia e assim, marquei para outubro de 2021.

No dia marcado, fiz a videolaparoscopia com o Dr. João Couto e com o Dr. Gustavo Capovilla no Hospital da Unimed de NH. O procedimento levou em torno de umas 4 horas, foi uma cirurgia complicada e delicada. Sabíamos que meu caso não era simples e durante a cirurgia foi constatado que uma parte do meu intestino estava comprometida também, no caso, tiveram que tirar parte dele. Outras complicações foram acontecendo, mas que Graças a Deus, os Doutores foram competentes e conseguiram conduzir da melhor forma possível.

O pós-operatório foi bem complicado também, tive muitas dores, febre, fraqueza, etc. Mas após duas semanas eu já estava bem melhor, apenas mantive cuidados ao carregar peso e segui a vida normalmente.

Dois meses depois, em dezembro/2021 descobri que estava grávida. Eu e meu marido queríamos ter filhos, mas não imaginávamos que seria logo após a cirurgia: FOI O SUSTO MAIS LINDO QUE JÁ TIVEMOS NA VIDA.

Estamos agora em março de 2022 estou há 4 meses carregando uma vida e muito feliz!

Sou extremamente Grata a Deus por sua infinita bondade de conduzir tudo da melhor forma que poderia ser e pelo profissionalismo e empenho dos Doutores João e Gustavo em se preocuparem com o meu caso e cuidarem muito de mim, antes, durante e no pós-operatório.

#gratidão

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *