post-title Você já teve uma hérnia? Não? Então preste atenção, você ainda pode ter uma!

Você já teve uma hérnia? Não? Então preste atenção, você ainda pode ter uma!

Você já teve uma hérnia? Não? Então preste atenção, você ainda pode ter uma!
Dr. João Couto Responde, Hérnia

Precisamos falar sobre hérnias abdominais

Sabe aquelas questões de saúde que são conhecidas de todos, mas ao mesmo tempo ninguém sabe nada sobre? Então, é o caso de hérnias abdominais. Todo mundo já ouviu falar sobre o assunto de alguma forma, ou conhece alguém que já passou pelo problema. Mas ao mesmo tempo, as informações sobre o assunto são muito superficiais.

Por isto minha proposta hoje é:

VAMOS FALAR SOBRE HÉRNIAS ABDOMINAIS?

Porque ela ocorre muito mais vezes do que se imagina. E pode acontecer com qualquer um de nós, em qualquer idade.

O que é hérnia abdominal? É o “escape” parcial ou total de um ou mais órgãos por uma abertura nas camadas de tecidos que protegem os órgãos internos.

Por que ela acontece? Por uma má formação ou pelo enfraquecimento destes tecidos por diferentes motivos. Existem vários tipos de hérnias abdominais:

  • inguinal;
  • epigástrica;
  • umbilical;
  • hiatal;
  • diafragmática;
  • incisional.

A primeira informação importante a se colocar é que não há uma única causa para o surgimento de uma hérnia abdominal.

Sim – sabemos que UM dos motivos pode ser o excesso de levantamento de peso ou de grandes esforços físicos. Outra causa recorrente é o sobrepeso da pessoa. Mas, há muitos casos de pessoas que não se enquadram nestes dois requisitos e desenvolvem hérnias. Isto ocorre porque elas têm uma má formação que torna os tecidos que protegem os órgãos internos vulneráveis ao surgimento de aberturas por onde ocorrem os “escapes” destes órgãos, ou seja, uma hérnia.

A formação de uma hérnia pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais frequente em adultos. Em crianças a hérnia umbilical é mais comum. Normalmente ela surge por volta dos seis meses de vida e pode desaparecer sozinha por volta dos quatro anos de idade.

É importante salientar que as hérnias abdominais normalmente são facilmente tratáveis, porém quase sempre a partir da realização de uma cirurgia, que pode ser minimamente invasiva ou aberta. Nela o cirurgião recoloca todos os órgãos no lugar e, de alguma forma,  introduz um reforço (normalmente uma tela protetora absorvível) na parede do local, para evitar novas formações.

Como saber se tenho hérnia?

O mais comum é que as hérnias sejam detectadas a partir do surgimento de uma protuberância abaixo da pele, na região abdominal, na virilha (conhecida como hérnia inguinal), no umbigo ou na raiz da coxa, seguido ou não de desconforto ou dor. Algumas vezes os sintomas podem ser uma dor aguda ou “queimação” contínua.

Hérnia representa perigo de vida?

De um modo geral não; hérnias são intercorrências que podem ter sua cirurgia de reparo agendada com uma programação não emergencial. Porém, quando se trata de uma hérnia inguinal encarcerada, ou ainda estrangulada, o procedimento precisa ser feito em caráter de urgência, pois nesta situação, o intestino ou outro órgão que esteja “preso na abertura” pode necrosar se o paciente não for operado imediatamente e isso é risco de morte.        Também a hérnia abdominal pode tornar-se grave se levar à perfuração do intestino, pode gerar infecções, necrose de parte do órgão, estado de choque séptico e até a morte.

O QUE POSSO FAZER PARA PREVENIR O DESENVOLVIMENTO DE UMA HÉRNIA ABDOMINAL?

Está bem claro para a medicina que não há possibilidade de saber com certeza se uma pessoa vai desenvolver hérnias abdominais. Porém podemos prestar atenção aos fatores já conhecidos como levantamento de peso em excesso com muita frequência e a obesidade, assim como o tabagismo. Estes fatores podem ser controlados por nós. O cigarro é fator de risco para o surgimento de doenças respiratórias que podem levar à tosse crônica, um dos causadores de hérnias ou fator de agravamento para os casos de hérnias já existentes.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *