post-title Cirurgias eletivas voltam a ter espaço nos hospitais

Cirurgias eletivas voltam a ter espaço nos hospitais

Cirurgias eletivas voltam a ter espaço nos hospitais
Cirurgias, Informativo

Com a vacinação e a redução de internações temos o retorno das cirurgias eletivas

Em Novo Hamburgo, os hospitais estão retomando gradualmente os agendamentos.

“Esta é a melhor notícia que ouvimos e principalmente, que pudemos dar aos nossos pacientes nos últimos meses – com o avanço da vacinação e a redução das internações por Covid-19, pudemos finalmente retomar as cirurgias eletivas”, afirma o Dr. João Couto Neto, médico cirurgião geral, especialista em cirurgias de vesícula biliar, aparelho digestivo, refluxo gástrico e hérnias inguinais, abdominais, entre outras.

“Tivemos um longo período de observação do agravamento da situação da pandemia, e nossa preocupação crescia na mesma proporção em que cresciam as medidas de contenção que nos obrigavam a adiar cirurgias de nossos pacientes”, afirma o Dr. João Couto Neto.

O médico cirurgião explica que “não podemos deixar de ter em mente que cirurgias eletivas são tão importantes quanto as de urgência. A diferença está no fato de que podemos fazer um agendamento dentro das possibilidades do paciente, do médico e do centro cirúrgico, mas se o paciente precisa da cirurgia, é importante que ela seja realizada dentro do menor tempo possível”.

Na Clínica Dr. João Couto, “nossa expectativa é de que no menor prazo possível, a gente consiga regularizar todos os agendamentos para a saúde de nossos pacientes”.

A redução da taxa de transmissibilidade da Covid-19 fez com que a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul flexibilizasse o uso dos centros cirúrgicos nos hospitais da região.

O que é cirurgia eletiva?

Cirurgia eletiva é aquela que, por não ter caráter emergencial, pode ser planejada com antecedência, dando tempo aos pacientes para uma preparação mais adequada, com a realização de todos os exames de avaliação de suas condições físicas.

Em alguns casos, a cirurgia eletiva é necessária para o bem-estar do paciente, e pode ser postergada por mais tempo do que em outros. Na maioria deles, trata-se de procedimentos simples, que permitem que a alta seja dada no mesmo dia de sua realização, sem a necessidade de hospitalização.

Um exemplo que esclarece bem esta definição é a cirurgia por videolaparoscopia de reparação de uma hérnia abdominal, que permite a liberação do paciente assim que ele cumpre todos os protocolos pós-operatórios, para se recuperar em casa.

Certamente há casos de cirurgias eletivas em que existe a necessidade de internação por serem mais complexas. Estas demandam um período curto ou até longo de internação, para que o paciente fique em observação intensiva da equipe médica.

Também temos algumas cirurgias de alta complexidade que são classificadas como eletivas.

Outros procedimentos considerados eletivos:

* Cirurgias cardiovasculares não emergenciais

* Cirurgia ginecológica: histerectomia e ligadura de trompas também caem no grupo de cirurgias eletivas.

* Cirurgia do sistema músculo esquelético e procedimentos cirúrgicos ortopédicos.

* Cirurgia exploratória ou de diagnóstico.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá, precisa de ajuda?