post-title Colelitíase, as famosas pedras na vesícula: Cálculos que causam dor na região adbominal

Colelitíase, as famosas pedras na vesícula: Cálculos que causam dor na região adbominal

Colelitíase, as famosas pedras na vesícula: Cálculos que causam dor na região adbominal
Cálculos Biliares, Cirurgias

Sobre a VESÍCULA – é um órgão que se assemelha ao formato de uma bolsa e é um importante componente do sistema digestório humano. Sua função é de reservar e concentrar a bile produzida pelo fígado até ser liberada no intestino. A bile tem a função de fazer a emulsão das gorduras dos alimentos digeridos e ajudar na absorção de importantes nutrientes como as vitaminas A, D, E e K.

Assim, o colesterol ou o excesso de sais tende a podem formar cálculos de diferentes tamanhos na bile e, com isso, prejudicar a passagem no canal que conecta a bile ao intestino. Essas pedras que ficam na vesícula, não conseguem ser liberadas e acabam causando dor na região abdominal. Além da dor no abdômen, pedras na vesícula podem causar dor nas costas, náuseas e vômitos. Raro, mas algumas pessoas podem ter cálculo na vesícula e não apresentar sintomas.

Sobre os RISCOS DE OCORRÊNCIA de doenças nas vias biliares: idade, gênero, nível de atividade física, alimentação e estilo de vida, influenciam a patologia, mas cada ocorrência apresenta particularidades diferentes. A colelitíase acontece com mais frequência em mulheres: grávidas, em terapia hormonal, em uso de anticonceptivos e ainda com idade superior a 60 anos. Dentre os riscos, o sedentarismo e também as perdas de peso rápidas decorrentes de dietas de baixa calorias são importantes.

Curiosamente, algumas estatísticas recentes apontam que ocorrem mais em pessoas com menor escolaridade (ou conhecimento), com baixo nível de atividade física e que costumam consumir alimentos de teor energético elevado. Além disso o histórico familiar de cálculo biliar é um fator que aumenta o risco para doenças biliares. Os latino-americanos são mais acometidos.

Sobre PREVENÇÃO – um padrão alimentar saudável com consumo de frutas, legumes, grãos integrais, óleo vegetal e peixe está associado a diminuição do risco para doenças da vesícula biliar. Também é importante baixar o consumo de açúcar, grãos refinados e bebidas açucaradas, pois estas estão associadas positivamente ao risco de cálculos biliares, assim como carnes vermelhas, carnes processadas e ovos em excesso.

Sobre o DIAGNÓSTICO e TRATAMENTO – ele é feito com facilidade, por meio de uma ultrassonografia de abdômen. A vesícula localiza-se perto da parede abdominal, sendo bem acessível através desse exame. Nem todos os pacientes precisam ser submetidos à cirurgias, mas quando os sintomas aparecem, dificilmente será evitada.

“Não importa o tamanho ou a quantidade dos cálculos biliares. No ano passado realizamos uma cirurgia onde o paciente tinha mais de 500 pedras, o que não é tão raro assim. O que importa é que se elas surgirem precisam ser retiradas para o bem-estar e saúde do paciente”, afirma o doutor João Couto.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá, podemos te ajudar?
Powered by