• +(51) 3035-1716 / (51) 3035-1718 / (51) 99115-8784

Tag Archives: Sociedade Brasileira de Videocirurgia

O que fazer para ser saudável?

Pequenos movimentos, grandes resultados
Para ser saudável não necessariamente é necessário revisar todo nosso estilo de vida. Às vezes, tudo que é precisa, são mudanças simples. De comer mais cenouras, de assistir vídeos lúdicos, de se mexer e de descansar…  Esses ajustes rápidos e fáceis no regime diário podem fazer uma enorme diferença na saúde e na forma como cada um se sente.

dicas de saúde - Dr. Couto
Gosto de olhar para coisas simples que nos fazem ficar melhor. Quando estamos bem, nossa saúde sempre fica melhor. Veja que coisas pequenas podemos fazer com grandes resultados:

Agarre seus dedos e puxe – Isso aumenta a circulação. Depois que seus pés foram apertados em sapatos durante todo o dia sem a circulação adequada, os músculos e nervos em nossos dedos do pé não funcionam corretamente. E isso pode causar dor nos joelhos, quadris e costas.

dicas de saúde - Dr. Couto

Lave as roupas de cama – Os ácaros da poeira são um importante gatilho na alergia. Gostam de sair até você. Lave os lençóis e fronhas toda semana em água quente. Também é inteligente usar capas de colchão projetadas para manter os ácaros fora.

dicas de saúde - Dr. Couto

Voar, só com ventilação – Vai voar? Viajar é bom, mas ligue a ventilação de ar acima do seu assento em seu rosto. Para permanecer saudável é preciso estar consciente sobre todos os germes que estão em aviões. Ligue a ventilação de ar em um ângulo que sopre ar para baixo na frente de seu rosto para dar uma filtrada no ar e criar uma barreira mantendo os germes longe do nariz ou boca.

dicas de saúde - Dr. Couto

Colecistectomia: saiba quando a retirada da vesícula é necessária

Com o título acima, matéria publicada hoje no site Doutíssima – esclarecimentos sobre Colelitíase. Informações e conteúdo por Dr. Couto, edição e escrita por Saulo Cavalcanti – editor de conteúdo.

“Desconforto e dores abdominais, que aparecem normalmente após a ingestão de alimentos ricos em gordura, podem ser sintomas de cálculos biliares. Essa condição exige um procedimento chamado colecistectomia, que consiste na retirada da vesícula por meio de cirurgia – feita através de pequenos orifícios no abdômen, procedimento minimamente invasivo.

A vesícula é uma espécie de saco membranoso e funciona como reservatório de bile. “A bile é um tipo de detergente natural do nosso corpo, produzido pelo fígado para quebrar as moléculas de gordura e, assim, facilitar a digestão”, explica o médico João Couto Neto, membro titular da Sociedade Brasileira de Videocirurgia.

colecistectomia-tt-width-640-height-420-crop-1

Cirurgia para retirar vesícula é um procedimento considerado pouco invasivo. Foto: iStock, Getty Images

Diante dessa função da vesícula, é comum que muitos se perguntem se com a colecistectomia a vesícula não irá fazer falta. Mas o médico garante que a ausência da vesícula não é prejudicial.

“A extração da vesícula biliar não ocasiona nenhum problema de digestão porque a bile segue sendo produzida pelo fígado e eliminada no intestino”, diz Couto Neto. A única diferença é que não será mais armazenada na vesícula biliar.

Como é feita a colecistectomia

De acordo com o Instituto Mineiro de Obesidade e Cirurgia (IMOC), esse é um procedimento relativamente comum e estima-se que apenas nos Estados Unidos, ele seja realizado mais de 700 mil vezes por ano.

A colecistectomia realizada pela técnica minimamente invasiva, através da chamada videolaparoscopia, é muito confortável de acordo com o médico. “Seus riscos são mínimos e bastante incomuns. Na maioria das vezes, o paciente tem alta no mesmo dia, usando analgésicos, e tem dieta liberada”, explica Couto Neto.

Em apenas três dias, o paciente que se submeteu à colecistectomia pode voltar às suas atividades normais e ao trabalho após 15 dias. Os esforços físicos são liberados para após um mês do procedimento. “Os resultados estéticos são excelentes”, garante o médico, ao ressaltar que as cicatrizes praticamente não são visíveis.

Conforme Couto Neto, há outros métodos alternativos dentro da laparoscopia no processo de retirada da vesícula biliar, como a minilaparoscopia e o “single Port”.

Pioneiro no Vale do Sinos (RS) nessas técnicas, ele explica que elas, além de serem minimamente invasivas, seguras e eficazes, desde que realizadas por profissional qualificado, garantem resultados estéticos e funcionais ainda melhores.

Riscos da colecistectomia são raros

Enquanto os riscos do procedimento são mínimos e raros, Couto Neto destaca o contrário: os perigos de não se retirar a vesícula que apresenta cálculos. Entre as maiores complicações, ele destaca a pancreatite, infecção da vesícula e migração do cálculo para via biliar.

Ele fala, ainda, da possibilidade da ocorrência de uma síndrome que surge após o procedimento cirúrgico. Segundo Couto Neto, estudos mostram que a maioria dessas condições é ocasionada por fatores extra biliares.

“Uma pequena porcentagem é provocada pela extração da vesícula e quando ocasionadas pelo procedimento, geralmente são passageiros”, diz ele. Entre os principais sintomas dessa síndrome, estão dor, dispepsia, estufamento e diarreia.

Outra dúvida para pacientes após a colecistectomia é em relação à alimentação. Não há problemas, segundo Couto Neto, e a vida segue normalmente. “Não há restrições alimentares, o paciente retoma sua alimentação normal de acordo com sua aceitação após a cirurgia”, comenta o especialista.” Fonte: doutissima

Leitura de textos no celular pode causar danos à coluna cervical

Hoje, mais do que nunca, é comum vermos as pessoas andando na rua sem prestar atenção aos próprios passos. Em qualquer ambiente pode-se perceber que existe um novo silêncio, aquele de quem esta prestando atenção a uma conversa – mas, ela é virtual. Desta forma houve um retrocesso na evolução humana quanto a posição do corpo – como nosso ancestrais, a cabeça cai para frente e o pescoço assume uma grande curva. Lamentavelmente com isso começa uma nova e moderna doença.

A cabeça humana pesa cerca de 5 quilos. Porém, conforme o pescoço sobe e desce, o peso sobre a coluna cervical tende a subir. Numa inclinação de 15º, esse peso pode chegar a pouco mais de 12 quilos, já a 60º esse peso aumenta para quase 30 quilos. Com esses dados, cientistas chegaram à conclusão de que ler textos em celulares pode levar à lesões graves na coluna e até à necessidade de cirurgia corretora. As informações são do jornal Washington Post.

n-CELULAR-COLUNA-large570

(Numa inclinação de pescoço de 60º, o peso sobre o pescoço sobre para quase 30 quilos. Foto: Reprodução / Ken Hansraj)

Num estudo a ser divulgado no próximo mês na revista Surgical Technology Internacional, o doutor Kenneth Hansraj, chefe em operação na coluna em um hospital de Nova York, descobriu que o hábito muito comum hoje em dia de ler e escrever nos celulares está prejudicando a saúde das pessoas. “É uma epidemia. Olhe ao seu redor. Todos estão com as cabeças abaixadas, olhando para o celular”, ele diz. “O problema é profundo para o jovens. Com esse estresse sobre o pescoço, logo veremos esses garotos precisando de cuidados médicos com suas colunas. Os pais deveriam se preocupar mais com isso”.

Para se ter uma ideia, o especialista compara que uma inclinação no pescoço em 60º, que faz o peso sobre o pescoço aumentar em quase 30 quilos (veja na ilustração), é como carregar um criança de oito anos sobre os ombros durante algumas horas diariamente. Usuários de smartphones tendem a passar entre duas e quatro horas, com a cabeça baixa, olhando para os celulares. São cerca de 700 a 1.400 horas por ano que os jovens tencionam demais a coluna cervical, segundo a pesquisa de Hansraj.

“Enquanto você alonga o tecido (do pescoço) por um longo período, ele se danifica, fica inflamado”, acrescenta Tom DiAngelis, presidente da Associação Americana de Fisioterapia, o que pode causar hérnias de discos e outros problemas.

“Embora seja quase impossível evitar as tecnologias, as pessoas devem fazer um esforço para olhar para seus telefones com a coluna ereta (sem tencionar o pescoço) e evitar passar horas a cada dia debruçados sobre os aparelhos”, de acordo com a pesquisa aconselhamos médicos.

(fonte: Globo.com)

Hérnia abdominal decorre de esforço extremo e é corrigida com cirurgia

Saliência no corpo também pode provocar dores na região.
Médicos falaram sobre fatores de risco, sinais, diagnóstico e operação.

Se você sempre carrega muito peso de forma errada, seja na bolsa ou nos aparelhos da academia, pode ser um candidato a desenvolver hérnia no futuro.

Isso porque o problema está associado a esforços incorretos em quem tem a parede muscular enfraquecida. Também pode aparecer após uma cirurgia, onde foi feito o corte.

Segundo os cirurgiões do aparelho digestivo, a hérnia pode aparecer no abdômen, no umbigo, na virilha e até no testículo. Ela ocorre quando a parte de um órgão como intestino ou o tecido gorduroso invade um local indevido, o que pode causar dor. No caso das hérnias umbilicais, a maior parte das que aparecem antes dos 6 meses de idade some sozinha até os 4 anos.

hernia

Na Amazônia, onde a equipe do Bem Estar acompanhou o trabalho dos Expedicionários da Saúde, um dos maiores problemas dos índios são as hérnias.

Como eles são trabalhadores braçais, precisam carregar muito peso, e os doentes acabam excluídos da comunidade, pois perdem sua função. Lá, foram feitas muitas operações desse tipo.

Se a região da hérnia inchar, mudar de uma hora para a outra ou houver dor intensa, procure imediatamente o pronto-socorro. Se o fluxo de sangue for interrompido, o médico primeiro tentará empurrar a hérnia para dentro e, caso necessário, fará a cirurgia. Quando o procedimento é bem feito, o problema dificilmente volta. Dependendo da técnica, a reincidência chega a apenas 1%. (Fonte: Globo.com)

Estudo afirma que uma em cada três crianças diagnosticadas com alergia a comida, sofre bullying

Uma em cada três crianças diagnosticadas com alergia a comida sofre bullying, segundo um estudo da Escola de Medicina Icahn, localizada na Flórida, nos EUA. A pesquisa foi publicada no site do da revista especializada “Pediatrics”.

Os pesquisadores analisaram respostas de 251 meninos e meninas com intolerância a lactose, ovos, peixe, amendoim e outros alimentos para saber como eles lidavam com o problema. As crianças, ouvidas junto com seus pais, são pacientes do Centro Médico Monte Sinai – hospital ao qual a escola de medicina é ligada.

A cada visita ao centro médico, pais e filhos respondiam a questionários sobre os problemas de alergia, qualidade de vida, casos de bullying e estresse. Quase metade dos familiares (47,9%) não sabia que suas crianças sofriam agressões, segundo os cientistas.

Apesar disso, 50% das crianças agredidas e seus pais relataram viver grandes níveis de estresse e ter baixa qualidade de vida.

Alergia-em-Crianças

“Descobrir o que sofrem as crianças permite intervir nestas situações, o que deve ser feito para reduzir o estresse e elevar a qualidade de vida destes jovens”, disse Eyal Shemesh, professor da escola de medicina e um dos autores do estudo. “Pais e pediatras deveriam perguntar para suas crianças alérgicas frequentemente se elas sofrem bullying”, afirmou ele ao site do Centro Médico Monte Sinai.

Para outro autor do estudo, o professor Scott Sicherer, a descoberta deve servir de alerta para “os pais, funcionários das escolas e os médicos”. Com informações como esta, eles podem agir para identificar e combater o bullying neste grupo fragilizado, pondera Sicherer. (Fonte: Bem Estar)

Dicas para ser saudável

Pequenos movimentos, grandes resultados

Ser saudável não necessariamente seja necessário revisar todo o seu estilo de vida. Às vezes, tudo que é precisa são mudanças simples. De comer mais cenouras, de assistir vídeos do filhote de cachorro – isso mesmo, vídeos de filhote de cachorro – esses ajustes rápidos e fáceis no regime diário pode fazer uma enorme diferença de saúde ena forma como você se sente.

Agarre seus dedos e puxe

Isso aumenta a circulação. Depois que seus pés foram apertados em sapatos durante todo o dia sem a circulação adequada, os músculos e nervos em nossos dedos do pé não funcionam corretamente. E isso pode causar dor nos joelhos, quadris e costas.

Faça 25 polichinelos

Mova seu corpo, não importa o quão rapidamente, para parar a resposta ao estresse em suas faixas e necessário mudar o canal em seu estado de espírito…

Silencie o seu telefone durante a noite

Não deixe que seus queridos interrompam um sono profundo. Tente não deixar seu telefone perto de você se os sons de alertas e/ou mensagens estiverem ativados. Um sono com sons não é saudável.

Faça vacinas

As anuais contra a gripe. Agora adicione um reforço para uma de tétano, difteria e coqueluche e que a última doença, também conhecida como tosse comprida, é uma doença respiratória particularmente perigosa. “Para a maioria dos adultos, o que significa uma tosse desagradável; em crianças, pode ser pior”, “Então, se você tem filhos ou estão em profissoes que tem crianças, é essencial se vacinar.”

Mantenha Infofmação médica necessária com você.

Coloque um cartão em sua carteira com a lista de suas alergias, dos medicamentos que toma e para que, se você tem alguma necessidade especial, seu tipo sanguíneo, etc. Sua história escrita pode salvar sua vida.

Baixe o volume e curta mais

MP3 players podem criar um som de até 120 decibéis, alto o suficiente para causar perda de audição ao longo do tempo. “Siga a regra 60/60: Mantenha o volume de seus fones de ouvido para não mais de 60 por cento do máximo, para não mais de 60 minutos por dia”, dica de James Foy, médico osteopata.

Armas nucleares em esponjas de louça

Esta é a coisa com mais germes em sua casa, disse um microbiologista da Universidade do Arizona. Cerca de 15 por cento das esponjas contem bactérias que podem deixar uma pessoa doente. Então, atirá-las na máquina de lavar duas vezes por semana ou colocá-las no micronodas, todos os dias por 30 segundos – matará as bactérias .

Não perca o sono

É comum as pessoas começarem a pensar em seus projetos e serviços inacabados na cama…. Ficar mentalizando os desafios do dia seguinte é uma pratica que nos tira o sono. Quando acontecer, inicie respirações longas, com o pensamento: – “Inspire, expire”. É preciso prática, mas se você fizer isso regularmente, seu corpo aprende a relaxar.

Use o espelho – faça uma pesquisa visual em você

Cheque a pele de todo o corpo uma vez por mês em uma sala bem iluminada. Pegue um espelho de mão e também peça a um familiar para verificar a sua volta se você não pode se ver inteiro. Olhe para sinais novos ou antigos, se alteraram ou estão iguais. Também recomendamos uma verificação total do corpo em um dermatologista, anualmente ou duas vezes ao ano caso tenha uma história pessoal ou familiar de sinais. A detecção precoce é fundamental no tratamento de câncer de pele e é um tipo de câncer muito comum em mulheres.

Mastigue cenouras

A cenoura humilde nunca recebi muita atenção, mas agora é um favorito nutricionista, graças ao seu alto teor de vitamina A-apenas uma meia xícara tem quase o dobro da quantidade que você precisa para os olhos saudáveis. Eles são quente com chefs, também, tornando mais fácil para obter a sua correção de boa visão.

Faça um teste de relógio

Você não pode pensar sobre o seu colesterol, mas você deve: Ter números elevados é um importante fator de risco de doenças cardíacas que mesmo mulheres magras podem ter. Graças à Affordable Care Act, você pode ser capaz de marcar uma triagem sem pagar um centavo por isso, se você tem uma história familiar ou outros fatores de risco, de acordo com Kathleen Sebelius, secretária do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos. Para obter uma lista de exames mais preventivas que agora não têm nenhum co-pagamento, ir para healthcare.gov.

Os melhores alimentos para todas as vitaminas e minerais

Quer receber seus nutrientes de forma natural? Nós quebrar as melhores fontes de alimento por 20 dos mais importantes.

Colecistite aguda

A colecistite é uma inflamação da parede da vesícula biliar, em geral, resultado de um cálculo no canal cístico, que causa um ataque de dor repentino e muito agudo.

No mínimo 95 % dos indivíduos com inflamação aguda da vesícula tem cálculos biliares. Em casos raros, a inflamação é causada por uma infecção bacteriana.

A inflamação aguda da vesícula biliar sem a presença de cálculos é uma doença grave. Tende a produzir-se depois de feridas, operações, queimaduras, infecções espalhadas por todo o corpo (sepsis) e doenças críticas, particularmente em pacientes que recebem alimentação prolongada por via endovenosa. A pessoa não costuma mostrar sintomas prévios de uma doença da vesícula biliar até que experimenta uma dor repentina e agudíssima na parte superior do abdômen. Em geral, a doença é de prognóstico muito grave e pode evoluir para gangrena ou perfuração da vesícula. É necessária a cirurgia imediata para extrair a vesícula.

Sintomas

A dor, habitualmente localizada na parte superior direita do abdómen, é o primeiro sinal de inflamação da vesícula. Pode intensificar-se quando a pessoa respira profundamente e muitas vezes estende-se à parte inferior da omoplata direita. A dor pode tornar-se agudíssima e as náuseas e os vômitos são habituais.

É sintomático que o paciente sinta uma dor muito aguda quando o médico pressiona a parte superior direita do abdómen. Em poucas horas, os músculos abdominais do lado direito podem pôr-se rígidos. No princípio, pode apresentar uma febre ligeira, que, à medida que passa o tempo, tende a aumentar.

Em geral, um ataque de vesícula biliar acalma-se em 2 ou 3 dias e desaparece completamente numa semana. Se isso não acontecer, o paciente poderá sofrer de complicações graves. A febre alta, os calafrios, um marcado aumento dos glóbulos brancos e uma interrupção do movimento normal propulsivo do intestino (íleo) costumam indicar a formação de um abcesso, uma gangrena ou uma perfuração da vesícula biliar. Nestas condições torna-se necessária a cirurgia de urgência.

Podem aparecer outras complicações. Um ataque de vesícula biliar acompanhado de icterícia ou de um retrocesso de bílis para o fígado indica que o canal biliar comum poderá estar parcialmente obstruído por um cálculo ou por uma inflamação. Se as análises de sangue revelam um aumento da concentração no sangue do enzima amilase, a pessoa poderá ter uma inflamação do pâncreas (pancreatite) provocada por uma obstrução do canal pancreático por cálculos biliares.

Diagnóstico

Os médicos diagnosticam uma inflamação aguda da vesícula biliar baseando-se nos sintomas do paciente e nos resultados de certos exames clínicos. Muitas vezes a ecografia ajuda a confirmar a presença de cálculos na vesícula biliar e pode mostrar um espessamento da parede da mesma. A gamagrafia hepatobiliar (uma técnica de imagem que se realiza depois da administração de uma substância radioativa por via intravenosa) contribui para um diagnóstico mais preciso. Este exame proporciona imagens do fígado, dos canais biliares, da vesícula biliar e da parte superior do intestino delgado.

Tratamento

Em geral, uma pessoa com inflamação aguda da vesícula biliar é hospitalizada, administram-se líquidos e eletrólitos por via intravenosa e não se lhe permite comer nem beber. Em algumas ocasiões, pode passar-se uma sonda através do nariz até ao interior do estômago, de modo a que, por meio de aspiração possa manter-se o estômago vazio, reduzindo assim a estimulação da vesícula biliar. Habitualmente, administram-se antibióticos mal se suspeite da existência de uma inflamação aguda da vesícula biliar.

Se o diagnóstico for claro e o risco da cirurgia pequeno, a vesícula biliar extrai-se dentro dos dois primeiros dias da doença. Contudo, se o doente apresenta alguma outra doença que aumente o risco da cirurgia, a operação pode ser adiada enquanto esta última é tratada. Se o ataque agudo se resolver por si, a vesícula biliar pode ser extraída posteriormente, preferencialmente depois de 6 semanas ou mais. Quando se suspeitar da existência de possíveis complicações, tais como a formação de um abcesso, uma gangrena ou a perfuração da vesícula, geralmente é necessária a cirurgia imediata.

Uma reduzida percentagem de pessoas tem novos ou repetidos episódios de dor, que sentem como ataques de vesícula biliar, mesmo quando já não têm vesícula. A causa destes episódios é desconhecida, mas poderiam ser o resultado de um funcionamento anômalo do esfíncter de Oddi, a abertura que controla a libertação de bílis no intestino delgado. Pensa-se que a dor pode ser o resultado de um aumento da pressão nos canais, causado pela resistência ao fluxo de bílis ou às secreções pancreáticas. Em alguns pacientes, os pequenos cálculos que ficam depois da operação podem causar dor. O médico pode usar um endoscópio (tubo flexível óptico com acessórios cirúrgicos) para dilatar o esfíncter de Oddi. Este procedimento geralmente alivia os sintomas em pacientes com uma anomalia diagnosticada do esfíncter, mas não é eficaz para os que só sentem dor.

Doença do Refluxo Gastroesofágico

A Revista R lançada hoje, tem um artigo de nossa autoria, sobre DRGE – Doença do Refluxo Gastroesofágico.

revista R Dr. Joao Couto

Confira:
“O refluxo gastroesofágico tem como sintoma típico a azia que também denomina-se de pirose. É um sintoma comum e com frequência incomoda muito, obrigando os pacientes a procurar um médico para a resolução do problema.

A azia e o sintoma mais comum porem outros podem ocorrer como regurgitação, dor à deglutição e dores no tórax., salivação excessiva e náuseas; outros menos frequentes como pigarro, tosse cronica e at’e mesmo simular asma.

O contato persistente do suco gástrico ácido com a mucosa do esôfago provoca inflamação desse órgão, ou seja, esofagite. Esofagite persistente pode levar à formação de úlcera no esôfago, alterações celulares e ate mesmo câncer de esôfago.

A hérnia de hiato caracteriza-se por um enfraquecimento do diafragma e alargamento do orifício nele contido, pelo qual uma parte do estômago desliza em direção ao esôfago. A hérnia e uma das causas do refluxo.

O diagnostico e realizado através dos sintomas e de exames diagnósticos. O mais realizado e a endoscopia. Alguns casos pode-se lancar mao de exame mais elaborados como a PHmetria e manometria esofágica

O médico deverá ser procurado toda vez que os sintomas persistirem.
O tratamento passa por mudanças no estilo de vida,medicamentos e em alguns casos a cirurgia.

 1) Mudança de hábitos

Evite fumar: O cigarro invariavelmente diminui a proteção das mucosas do estômago.
Evite deitar-se ou fazer esforço com seu estômago cheio.
Perca peso se estiver acima de seu peso ideal.
Evite roupas apertadas: Estar acima do peso ideal e usar roupas apertadas podem comprimir seu estômago, facilitando o refluxo.
Evite alimentos que prejudicam a digestão e facilitam o refluxo: Frituras, alimentos gordurosos, chocolates, condimentos fortes, excesso de alho, cebola e café.
Evite encher demais o seu estômago: A digestão torna-se mais fácil e demorada, o que facilita a ocorrência de refluxo.
Levante a cabeceira da cama: Principalmente se você costuma ter azia durante a noite. Utilize um calço de 10 cm a 15 cm. Não adianta tentar recorrer a travesseiros, pois é a cama que deve permanecer elevada.

A cirurgia videolaparoscopica e uma alternativa para alguns pacientes, sendo, de fácil execução e ótimos resultados.
A operação consiste em fechamento do defeito no músculo diafragma (hiato) e a confecção de um novo mecanismo anti-refluxo com o estômago. A cirurgia é rápida (menos de 1 hora) e o paciente fica internado apenas 24 horas retornando ao trabalho entre 5 a 7 dias depois.

Procure sempre seu médico, ele saberá individualizar seu caso e orientar a melhor forma de tratamento.”

Quanto e como quer viver sua vida?

Como você está de saúde?

Estabeleça objetivos concretos de acordo com o nível de capacidade física, saúde e bem-estar que você deseja ter. Faça uma análise completa de si relativamente ao seu momento atual. Seja totalmente honesto consigo mesmo. Crie uma linha base para que possa comparar o seu progresso.

older-people1

Pergunte a si mesmo as seguintes questões:

  • Quanto é que você pesa?
  • Quantas horas por noite você dorme?
  • Qual é o seu perímetro abdominal?
  • Quantas vezes por semana pratica exercício físico?
  • Quantos minutos por semana faz de exercício físico?
  • Que quantidade de comida come?
  • Quão nutritiva é a sua dieta?
  • Que quantidade de álcool você bebe diariamente e semanalmente?
  • A que horas você vai para a cama? E a que horas se levanta?
  • Como é que classifica a sua saúde geral, numa escala de 0 a 10?

Old-People

Qualquer uma destas questões pode ser utilizada como o ponto de partida para estabelecer objetivos para melhorar sua saúde e capacidade física.
Isso depende apenas de você! Mexa-se!

Qual a receita de uma feliz e boa família?

Se pudéssemos responder simplesmente esta pergunta, talvez uma das alternativas fosse a diversão em conjunto, a compreensão e o apoio seriam outra resposta importante. Mas qualquer ingrediente que quisermos colocar, tem que vir acompanhado de AFETO – o que te afeta mais =  a mistura de tudo mais um padrão satisfatório de amor.
Você acorda e ouve um ruído estranho, um falsete vindo da cozinha. Obviamente, você pode estar um pouco ‘confuso’ e provavelmente achar uma série de coisas:
– “Tem alguém em minha casa?”
– “Estou na casa errada”
– “Minha filha esta na geladeira?”
– “Minha cachorra invadiu a cozinha”
– “…Nossa, cheiro de café… Delícia”…

Assim pode ser um sábado de manhã de quem tem família…
Ouvem-se risadas, latidos e música…
Então vamos falar da receita de uma família – Seria quando as pessoas gostam de estar juntas, especialmente nas horas de se alimentar. Assim é uma forma linda e simples de “fortificar a alma e o amor”.

Nossos filhos, enteados, esposa, cães, gatos… Tudo que é vivo e ali vive fica em estado de permanente carinho. Isso é de fato uma família. Qualquer que seja o evento deve ser traduzido por ATENÇÃO, participação e importância…

Descobrir que dar atenção e importância ao lado divertido de momentos vividos, são as melhores coisas para se lembrar – É o que fica nas memórias e nos corações…. São as coisas que fazem toda a diferença em uma família, em toda uma grande e querida família que se estende para outros lares, todos aqueles que fazem parte de nossas vidas. Mães, Pais, avós, irmãos… parentes amados e amigos que se instalam em nosso convívio.

11416133_10205814200708321_8763230814333995612_n

Quando temos os filhos pequenos, as pequenas lições, as brincadeiras e as convivências são plenas. Quando eles estão crescidos, as lições devem ficar mais longas e se tornar mais profundas. “Podemos realizar algumas boas lições de vida e de amor.”

10406781_10205872153117095_8155572221067158138_n
Agora, a família cresce, novo membro é agregado. “É assim, quando se tem espaço sobrando para o amor.”