• +(51) 3035-1716 e (51) 3035-1718

Videocirurgia Hérnias

Hernias-2

Hérnias
Uma hérnia ocorre quando o tecido ou parte de um órgão, geralmente o intestino, projeta-se através de um ponto fraco ou rasgo na parede abdominal, formando um saco. O tecido saliente pode perder o fornecimento de sangue resultando em problemas de saúde tão graves como a gangrena levando a risco de vida.

As hérnias podem estar presentes ao nascimento ou podem ocorrer mais tarde na vida por um variado número de causas, incluindo o trabalho pesado. A causa exata é muitas vezes desconhecida. Podem ocorrer tanto em homens como em mulheres.

As hérnias normalmente causam dor na virilha, umbigo ou no abdome, ao se levantar objetos pesados, tosse ou esforço durante a micção ou evacuação. Um nódulo ou abaulamento também pode ser aparente. Se a hérnia se tornar encarcerada ou estrangulada, o paciente poderá apresentar vermelhidão, dor e aumento de temperatura local.

A cirurgia é o único método para correção de hérnia. É um dos procedimentos cirúrgicos mais comuns. É realizada para aliviar a dor e corrigir ou prevenir a ocorrência de problemas mais sérios. A cirurgia deve ser feita em qualquer hérnia, mas é especialmente recomendado para pacientes com dor, que estão em alto risco de encarceramento, assim como quando grande quantidade de tecido projeta-se através de um pequeno orifício, e quando a vida é dificultada pela hérnia.

hernias

Método convencional – O procedimento de reparo mais comum é a herniorrafia tradicional (aberta / “sem tensão”). Normalmente feito com anestesia do tipo raqui ou peridural. Uma grande incisão é feita sobre a hérnia. O tecido é então dissecado e empurrado para trás, e uma malha sintética é colocado sobre o defeito de apoio. A recuperação total leva um mês a seis semanas.

Via laparoscópica – A mais recente técnica, minimamente invasiva da laparoscopia, feita sob anestesia geral, envolve a criação de três pequenas incisões no abdômen, a insuflação de gás carbônico para criar um “espaço de trabalho” e a utilização de um laparoscópio, um instrumento fino com uma câmera na ponta que permite ao cirurgião ver dentro do corpo do paciente sem a necessidade de grandes incisões. Este método “trans abdominal” causa menos trauma ao corpo, menor dor pós-operatória e a recuperação é mais curta (cerca de uma semana) do que com a técnica aberta. As desvantagens incluem o risco de punção de víscera, que é pequeno.

Pós-cirurgia
– Os pacientes geralmente podem voltar para casa no mesmo dia da cirurgia do reparo da hérnia ou no dia seguinte. Os pacientes podem experimentar dor no primeiro dia após a cirurgia, mas são encorajados a andar ja no primeiro dia após a cirurgia.
O paciente poderá retornar ao trabalho e a outras atividades normais logo após o procedimento, apesar de exercícios e outras atividades extenuantes devem ser evitados por mais tempo.

Classificação das hérnias abdominais:
As hérnias abdominais são, de longe, as mais frequentes. Como foi dito acima, incidem em pontos fracos naturais ou adquiridos. A criança pode nascer com hérnia ou manifestar mais tarde, em qualquer idade.

A maior parte das hérnias da parede abdominal localiza-se na região inguinal. Esta é a área que se estende da porção mais inferior do abdômen até a raiz da coxa. Existem aí três pontos fracos, daí suas denominações: hérnia inguinal indireta, hérnia inguinal direta e hérnia crural.

Hérnia inguinal indireta – Na vida intrauterina, o testículo e o ovário localizam-se dentro do abdômen, junto ao rim. Durante a vida fetal, o testículo migra dessa área intra-abdominal para a bolsa escrotal. Esse trajeto deixa um ponto fraco na parede abdominal, suscetível à formação da chamada hérnia inguinal indireta.
Na mulher, o ovário migra para dentro da bacia. Por essa razão, existe hérnia inguinal indireta no homem e na mulher, mas a incidência é muito maior no sexo masculino. De fato, esta é a hérnia mais frequente do organismo.

Hérnia inguinal direta – Ocorre quando um ponto fraco origina-se “diretamente” na parede abdominal próximo à região inguinal baixa junto à linha média.

Hérnia crural – Junto à coxa existe um orifício denominado anel crural ou femoral por onde passam músculos, vasos e nervos que dão motricidade e sensibilidade para o membro inferior. Esse local se constitui num ponto fraco onde podem surgir hérnias denominadas de hérnias crurais.

Hérnia umbilical – É frequente no recém-nascido e quase sempre fecha espontaneamente. O umbigo, no entanto, permanece como um ponto fraco através do qual pode se originar hérnia, na vida adulta.

Hérnia epigástrica – Os músculos da parede lateral do abdômen se entrecruzam na linha média, formando uma estrutura fibrosa de tipo cicatricial muito firme, denominada linha branca. Por essa estrutura passam vasos sanguíneos que vão irrigar a parede abdominal. Alargamento lento e progressivo do trajeto desses vasos pode dar origem às chamadas hérnias epigástricas.

Hérnia incisional – Ocorre como complicação de cirurgias. A causa mais freqüente é infecção do ferimento operatório (corte da cirurgia) que destrói os pontos da cirurgia. Isso era muito frequente antigamente, quando os métodos de assepsia eram menos eficientes e os fios de sutura não tinham a qualidade dos atuais. Estes, além de mais resistentes, provocam menos reação do organismo e assim menos infecções.